segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

Plano contra o contrabando apreendeu o equivalente a dois meses de abastecimento nacional


O Plano de Choque contra o contrabando, ativado pelo governo nacional desde agosto, apreendeu até está data uma quantidade equivalente para abastecer de produtos da cesta básica a todo o povo venezuelano por um período de dois meses, destacou esta quarta o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro.
Desde o estado Barinas, onde se realiza um ato em comemoração aos 155 anos da Batalha de Santa Inés, executada pelas forças federais comandadas por Ezequiel Zamora, Maduro expressou: “Nós apreendemos alimentos para abastecer o país por dois meses, pelo menos. Quer dizer que rompem (as máfias) a cadeia logística de abastecimento com o contrabando e retiram ganhos”.
Acrescentou que um desses ganhos é monetário, enquanto que a outra é “buscar um dano político e irritar ao povo até que colapse a Revolução”.
O chefe de estado reconheceu o trabalho da Guarda Nacional Bolivariana (GNB) na luta contra o contrabando, a qual “esteve em toda grande fronteira batalhando e viu o rosto das máfias criminais do contrabando”.
Destacou que junto a luta contra o monopólio e a especulação, o governo nacional também impulsionou os níveis de produção de alimentos “para que no falte comida ao nosso povo”.
Assim mesmo, manifestou que a Revolução Bolivariana estima acabar com as máfias do contrabando de alimentos em 2015. “Vamos fazê-lo, temos que fazê-lo”, enfatizou Maduro.
O Plano de Choque contra o contrabando foi uma decisão tomada depois de uma reunião bilateral realizada 1º de agosto na cidade de Cartagena, Colômbia, entre os presidentes Nicolás Maduro e Juan Manuel Santos, na qual coincidiram na necessidade de combater o contrabando que afeta ambas as nações.

A este esforço se somaram várias operações desenvolvidas pela Força Armada Nacional Bolivariana, trabalho que se estendeu pelos mais de 4.500 quilômetros da fronteira da Venezuela com Colômbia, Brasil e Guiana, com especial atenção aos 2.219 quilômetros de território entre Venezuela y Colômbia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário